ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Secretário da Saúde e maratonista, João Gabbardo dos Reis incentiva a prática de atividade física

por Karine Pinheiro | karinefpinheiro@gmail.com

Atual secretário da Saúde do Rio Grande do Sul, médico formado pela UFRGS e atleta, João Gabbardo dos Reis conta nesta entrevista que pratica esportes desde criança. A paixão pelo atletismo, no entanto, começou em 1980, quando ele estava no último ano da faculdade de Medicina. João Gabbardo também falou sobre a sua maratona mais difícil, quando correu 217 quilômetros.

Quando você começou a praticar esportes e por que escolheu o atletismo?
Pratico esporte desde criança, mas comecei a correr em 1980. Estava no último ano da faculdade e lembro que fui convidado por dois professores do curso de Medicina para fazer um treino, em um sábado, de 20 quilômetros na Avenida Ipiranga. Nunca tinha corrido. A partir daquele dia, eu comecei a me envolver com corrida e nunca mais parei. Então, desde de 1980, são 35 anos de corrida sem nunca ter parado de praticar.

Como você conciliou esporte, trabalho e estudos?
Eu sempre defendi que a atividade física é algo importante para a saúde das pessoas. É importante que as pessoas dediquem um pouquinho do seu tempo para praticar esportes e atividades físicas, não é preciso mais que uma hora por dia. Por mais dedicação que tenha aos estudos e ao trabalho, sempre há um pouquinho de tempo para fazermos algo que é muito importante para nossas vidas, que é a nossa saúde. Existem pessoas que tem tempo para fazer coisas que não podem se considerar significativas e dizem que não tem tempo para se exercitar. Quando eu falo em exercício não falo em correr ou outro algum esporte, e sim não usar o elevador no trabalho, mas as escadas. Se tiver tempo, descer antes do ônibus e fazer uma caminhada, fazer compras no mercado a pé… uma série de oportunidades que sem perceber podemos estar nos exercitando. Isso é o importante.

Arquivo pessoal

Apaixonado por corrida, Gabbardo já correu uma ultramaratona de 217 quilômetros

Como foi participar da Ultramaratona BR135?
Essa foi a maratona mais difícil que eu percorri até hoje, foram 217 quilômetros. Ela saiu de Minas Gerais, passou por São Paulo e foi até o Rio de Janeiro. Passou pela serra da Mantiqueira, tem muita subida e descida, trilhas. É muito difícil mesmo tendo o acompanhamento do carro de apoio, mas ele só encontra o atleta em alguns momentos, enquanto estava dentro da mata, por exemplo, não tinha como o carro seguir apoiando. Então corria cerca de 20 ou 30 quilômetros sem tem contato algum com carro, ou seja, sem algo para comer e sem água. Foi difícil também na questão da temperatura. À noite era muito frio, algumas horas chovia e eu ficava muito molhado, vento, depois ficava calor. Parei em algum momento para dormir duas horas e finalizei a maratona em 36 horas. Durante o percurso senti muita dor muscular, fiquei com muitas bolhas na sola do pé, perdi 3 ou 4 unhas, porque mesmo que o tênis seja adequado ele entra em atrito com o pé durante as descidas, que foi o maior problema. Com certeza foi o maior desafio que eu já tive.

Você acha que o comodismo afeta algumas pessoas em relação às práticas físicas?
Antigamente não tinha tantos problemas de doenças cardíacas, o índice de obesidade era baixo porque as pessoas tinham mais gosto e uma certa obrigação de fazer atividades físicas. Hoje, com o conforto do controle remoto, por exemplo, as pessoas não levantam mais para trocar um canal ou alterar o volume. Com o carro, as pessoas não caminham mais e com isso passaram a ficar mais tempo sentadas e, como consequência, comendo mais, elevando a taxa de algumas doenças. Temos que romper este ciclo mudando a alimentação e praticando esportes, pois é a melhor forma de ter uma vida saudável.

Como médico e secretário de Saúde, você pensa que se as pessoas praticassem mais esportes e atividades físicas isso diminuiria a demanda da Saúde?
Sem dúvidas! Boa parte das doenças poderia ser evitadas com hábitos saudáveis, isso envolve o combate ao tabagismo, combate ao uso excessivo de bebidas alcoólicas, combate à obesidade. Mas de todos esses itens o que é mais importante e mais eficiente na prevenção de doenças é a prática da atividade física, fazendo exercícios pode ser diminuído o risco de hipertensão, de diabetes, de doenças cardíacas e quem pratica esportes ou atividades físicas com certeza terá uma vida muito saudável e poderá viver mais do que aqueles não praticam.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: