ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Duda Amorim traz uma nova perspectiva para o handebol brasileiro

por Pâmela Gracez l pamelakgodois@hotmail.com l edição de Ulisses Miranda | ulisses_mr17@hotmail.com

Nascida no dia 23 de setembro de 1986, a catarinense de Blumenau Eduarda Idalina Amorim é armadora esquerda na seleção brasileira de handebol. Conheceu a modalidade aos 11 anos, enquanto se divertia nas arquibancadas assistindo os treinos de sua irmã mais velha, no Colégio Barão do Rio Branco. Lá conheceu o técnico Fausto Sleinwandter, que a chamou para jogar uma partida e, desse dia em diante, o handebol ganhou o seu coração. Com a seleção brasileira foi campeã do mundo em 2013, conquistando diversas premiações individuais, como a de melhor do mundo em 2014. Também é bicampeã da Liga dos Campeões da Europa. Atualmente defende a camisa 18 do Gyor Eto KC, da Hungria.

Olimpíadas RIO 2016 na fase de classificação (Foto: Arquivo Pessoal)

Eduarda com a jogando pela seleção brasileira na fase de classificação do Rio 2016 (Foto: Arquivo Pessoal)

A atleta tem um lema: “Mesmo que pareça impossível, vai lá e faz”. Aos 16 anos, saiu de Blumenau para morar em São Paulo e defender o time do São Caetano. Em 2002, Duda conquistou a medalha de prata no Campeonato Brasileiro se tornando assim uma promessa da modalidade no país.
Logo sua trajetória estava repleta de medalhas. Encantando não só olhares brasileiros, mas também os internacionais. Foi então que, em 2005, Duda recebeu o convite para jogar na Macedônia, no time do Kometal Skopje.

Jogar handebol na Europa é buscar o aperfeiçoamento de 1° nível. Embora a modalidade tenha sido originalmente criada na Alemanha, em 1920, ela tornou-se uma potência em todo o continente. Portanto, é o sonho dos jogadores de handebol vivenciar está experiência.

Contudo, Eduarda sempre se manteve muito focada em todos os seus objetivos dentro do handebol, passou por muitas dificuldades emocionais devido a distância e a saudade de sua família. Em algumas entrevistas ela comentou: “Eu não desisto! Nem por mim e nem pelo handebol brasileiro”. E com toda esta garra, sua jornada na Macedônia foi brilhante. Conquistou mais campeonatos, ganhando quatro vezes o Campeonato da Macedônia.
E se ela achava que sua carreira já estava incrível, Duda nem imaginava o que estava por vir: mais um convite. Em 2009, o time do Gyor Eto KC, localizado na Hungria, a contratou. E é onde ela atua até hoje. Com o Gyor a armadora foi bicampeã da Liga dos Campeões da Europa, considerada a competição mais importante que um jogador de handebol pode ganhar.

Duda atua na seleção brasileira desde 2007. E com toda esta experiência do handebol europeu, ela trouxe junto outra perspectiva para o handebol brasileiro.

FONTES CONSULTADAS:

JORNAL NACIONAL. Campeã do handebol sempre acreditou no impossível. Disponível em: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2016/07/campea-do-handebol-sempre-acreditou-no-impossivel.html. Acesso em: 3 de out. 2016.

GLOBO ESPORTE SC. Catarinense Duda Amorim é eleita a melhor jogadora de handebol do mundo. Disponível em: http://globoesporte.globo.com/sc/videos/v/catarinense-duda-amorim-e-eleita-a-melhor-jogadora-de-handebol-do-mundo/3995081/. Acesso em: 3 de out. 2016.

WIKIPÉDIA. Eduarda Amorim. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Eduarda_Amorim. Acesso em: 4 de out. 2016.

FACEBOOK. Eduarda Amorim – Duda. Disponível em: https://www.facebook.com/EduardaAmorimOficial/. Acesso em: 4 de out. 2016.

 

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: