ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Das ruas ao ouro: a história de dedicação e superação de Robson Conceição

por Diego Lemos | diegolemos.jornal@gmail.com | edição de Ulisses Miranda | ulisses_mr17@hotmail.com

(Foto: Flavio Florido/Exemplus/COB)

Robson Conceição desde jovem trabalhava para ajudar sua família e manter seus treinos. Superou, através de muita dedicação, todas as barreiras que foram impostas a ele. Chegou a seleção brasileira e participou dos Jogos de Pequim (2008) e Londres (2012) onde foi derrotado na primeira luta. Mesmo com esses tropeços, Robson, que viria a ser o maior boxeador brasileiro em Olimpíadas, não se abateu e sua dedicação foi compensada com o inédito ouro Olímpico no Rio de Janeiro.

Desde muito novo Robson acompanhava sua avó na feira para ajudar família (Foto: Reprodução / Instagram)

Desde muito novo Robson acompanhava sua avó na feira para ajudar família (Foto: Arquivo Pessoal)

Das ruas ao ringue

Robson nasceu e foi criado no bairro Boa Vista de São Caetano, em Salvador-BA, por sua mãe e avó sem nenhum contato com o pai. Sem a presença da figura paterna, Robson tinha como espelho seu tio Roberto, que era famoso por brigas de rua durante o carnaval da capital baiana. Para seguir os passos de seu tio ele começou a treinar boxe. Não pretendia se tornar profissional, mas sim ter fama como o tio. Entre o os ringues e a escola, ele optou pelo boxe. O “terror da Boa Vista”, como era conhecido, viu no esporte a chance de melhorar de vida e começou a levar os treinos a sério.

Robson se destacou em pouco tempo e logo foi chamado para a seleção brasileira. Com a convocação teve que mudar-se para Santo André em São Paulo, onde recebia apenas hospedagem e alimentação, nada de salário. As dificuldades continuaram. Durante esse período Robson teve que dividir seu tempo de treino com outras atividades para conseguir se sustentar.

Dos tropeços à afirmação

A carreira de Robson teve destaque muito cedo. Em 2008, aos 19 anos classificou-se para sua primeira Olimpíada. Chegou em Pequim como coadjuvante e sem expectativa de medalha. Campanha que se confirmou: foi eliminado na primeira luta. A Olimpíada serviu para adquirir experiência internacional, o que fez com que Robson continuasse a se destacar no esporte.

No Pan-Americano de Guadalajara, em 2011, o já experiente boxeador conquistou a medalha de prata e a classificação para a Olimpíada de Londres em 2012. A situação era diferente, Robson chegava em Londres como um dos favoritos para a conquista do ouro olímpico. No entanto, acabou perdendo na estreia para o escocês Josh Taylor por pontos. Derrotado, mas não desmotivado, ele seguiu sua carreira e continuou se afirmando como um dos melhores boxeadores de sua categoria (60kg). Venceu o Campeonato Continental Pan-Americano em Santiago/Chile, o Torneio Feliks Stamm em Varsóvia/Polônia e terminou o ano de 2013 com a prata no Mundial realizado em Almaty/Cazaquistão.

Nos anos anteriores aos Jogos do Rio, Robson continuava conquistando ótimos resultados internacionais. Sua velocidade e precisão nos golpes continuavam a lhe garantir vitórias. E, após mais um ouro no Sul-Americano e um bronze no Mundial do Catar, em 2015, ele confirmou a vaga para sua terceira Olimpíada seguida.

Rio 2016

Desta vez ele não iria deixar escapar a medalha. Mais experiente e bem preparado Robson se via preparado para enfrentar qualquer adversário, mas a vida do brasileiro não foi fácil. Após vencer sua estreia e espantar o fantasma dos outros jogos, Robson derrotou Hurshid Tojibaev do Uzbequistão nas quartas de final, mas sua luta mais difícil o aguardava.

Nas semifinais Robson enfrentou Lazaro Alvarez, cubano e atual número um do mundo na categoria, posto que já havia sido de Robson que atualmente é o segundo do ranking. Motivado e embalado pela torcida, Robson partiu para cima do cubano, com golpes certeiros e esquiva apurada o brasileiro vence por pontos e avança para as finais onde enfrentou o francês Sofiane Oumiha.

O ouro inédito

Robson, desde o primeiro movimento da luta, mostrava superioridade. Mais rápido e visivelmente mais preparado, não dava chances para o francês. No primeiro round, uma vitória limpa do brasileiro por 10-9. Robson parecia incansável e continuava a pressionar o francês com ótima esquiva e golpes na linha da cintura, não deixando o adversário reagir. Os juízes confirmam mais um round para o brasileiro.

Desesperado, o francês veio para o tudo ou nada, mas o experiente baiano não perdeu as rédeas da luta, controlou o adversário e confirmou a vitória. Decisão unânime: Robson Conceição enfim era ouro. A conquista que faltava para o baiano de 28 anos, consagrando sua carreira e confirmando a confiança que era depositada nele e em seu talento. O inédito ouro, enfim, era do Brasil.

Motivado pela torcida Robson Conceição domina o francês na final (Foto: Getty Images/Christian Petersen)

Motivado pela torcida Robson Conceição domina o francês na final (Foto: Christian Petersen/Getty Images)

Chave de ouro

As boas novas para Robson Conceição não pararam por aí. A conquista da medalha de ouro abriu as portas para o brasileiro no milionário boxe profissional. Assinou contrato de seis anos com a grande equipe Top Rank Boxing, que já promoveu estrelas como Mohamed Ali, George Foreman e atualmente promove o grande nome do boxe mundial Manny Pacquiao. Sua estreia está marcada para dia 5 de novembro contra o americano Clay Burns.

Robson agora sonha com o cinturão mundial e, segundo seu treinador Luiz Dória, que é um dos grandes nomes do boxe brasileiro, responsável pelos títulos de Popó nos anos 90 e treinador de campeões do UFC como Anderson Silva e Cigano, as chances são claras. “Não tenho dúvida que Robson é o novo ídolo nacional e vai ser campeão mundial”, afirma o técnico.

Robson (centro) juntamente com seu treinador Luiz Dória( a direita) assinam contrato de 6 anos com promotora de lutas Top Rank (Wender Roberto / Top Rank)

Robson assinou contrato de seis anos com promotora de lutas Top Rank (Foto: Wander Roberto/Top Rank)

FONTES CONSULTADAS:

SIQUEIRA, Felipe; BARONE, Marcelo; CARNEIRO, Raphael, MARINHO, Raphael; GOZZER, Thierry. Quem é Robson Conceição? O maior atleta do boxe brasileiro em Olimpíada. Disponível em: http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/boxe/noticia/2016/08/quem-e-robson-conceicao-o-maior-atleta-do-boxe-brasileiro-em-olimpiada.html Acesso em 12 out. 2016.

NADDEO, André; GUIMARÃES, Saulo Pereira. É campeão! Robson Conceição conquista ouro inédito para o boxe brasileiro. Disponível em: https://www.rio2016.com/noticias/e-campeao-robson-conceicao-conquista-ouro-inedito-para-o-boxe-brasileiro Acesso 12 ou. 2016.

ALVES, Marcelo; Robson Conceição vai para o boxe profissional e quer título em dois anos. Disponível em: http://oglobo.globo.com/esportes/robson-conceicao-vai-para-boxe-profissional-quer-titulo-em-dois-anos-20079474 Acesso 12 out. 2016.

Deixe um comentário