ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Natália Gaudio: a ginástica rítmica brasileira bem representada nos Jogos Olímpicos

por Carine Becker | carinebecker@hotmail.com | edição de Ulisses Miranda | ulisses_mr17@hotmail.com

Natália Gaudio em sua primeira disputa dos Jogos Olímpicos (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

A ginástica rítmica brasileira enfrentava um hiato representativo nos Jogos Olímpicos desde 1992, em Barcelona, quando a gaúcha Marta Cristina Schonhorst alcançou o 41º lugar na classificação geral. Vinte e quatro anos depois, quem volta a colocar a ginástica rítmica no páreo é Natália Gaudio, capixaba de 23 anos, que começou a praticar ainda pequena. Iniciou seus treinos aos seis anos na escola em que estudava e está, desde então, aprimorando suas habilidades. Mesmo assim, ainda se dedica a vida particular de quem sonha em ocupar um cargo de importância, como juíza ou promotora, na justiça do Estado do Espírito Santo, onde mora.

Natália Gaudio em apresentação de fita. (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Natália Gaudio na apresentação de fita (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)

Estudante de direito na Universidade Vila Velha (ES), Natália também se dedica a uma loja com vestimentas para o esporte que pratica e a uma carreira de modelo, fazendo ensaios fotográficos e companhas.
Aos oito anos de idade, Natália participou de sua primeira competição e ganhou sua primeira medalha, sendo vice-campeã estadual. Com nove anos, a ginasta foi convidada para o teste da seleção capixaba. Desde então, aumentou o ritmo dos treinos e passou disputar competições mais importantes.

Em um momento difícil de sua vida, quase desistiu do sonho de competir pelo Brasil: em setembro de 2012, em um acidente de carro, Natália perdeu sua melhor amiga e companheira de treinos. Mas, depois de todo luto e de sua união com Monica Queiroz, sua treinadora, a perda impulsionou seu propósito pelas competições futuras.

Assim como nos anos de 2010 e 2013, em 2014 Natália conquistou o pódio no Campeonato Sul-Americano de Ginástica Rítmica, trazendo para o Brasil 5 medalhas de ouro.

Em julho de 2015, Natália obteve grande reconhecimento na ginástica rítmica ao participar no Pan-Americano de Toronto, conquistando oitavo lugar na colocação geral. No Mundial de ginástica, que ocorreu na Alemanha, ela conquistou seu lugar nos Jogos Olímpicos do Rio 2016 com 0,117 pontos a mais que sua concorrente pela vaga, a brasileira Angélica Kvieczynski.

Para os Jogos Olímpicos Rio 2016, Natália trancou a faculdade e, das seis horas costumeiras para treino, passou a ter no mínimo oito, intercalando aulas de ballet, preparo físico e ensaio das coreografias. Aos 23 anos, alcançou o 23º lugar com a somatória de 65,532 pontos, não conseguindo seguir para as finais.

Mas, Natália não parou depois das Olimpíadas. No dia 17 de setembro, conquistou o tricampeonato dos Jogos Abertos do Interior, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Natália ficou em primeiro lugar no individual geral com fita, bola e mãos livres; nas maças, a ginasta conquistou prata.

A mais recente competição em que Natália Gaudio participou foi o Campeonato Sul-Americano de Ginástica Rítmica, onde conquistou o pentacampeonato levando a medalha de ouro com a somatória total de 62,717 pontos.

FONTES CONSULTADAS:

FILHO, Juscelino; BARBOSA, Thiago; QUINTELLA, Thiago. Natália Gaudio empolga público, mas cai na eliminatória; russa avança em 1º. Globo Esporte. Disponível em: http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/ginastica-ritmica/noticia/2016/08/natalia-gaudio-empolga-publico-mas-cai-na-eliminatoria-russa-avanca-em-1.html. Acesso em 08 de out. 2016.

GLOBO ESPORTE. Natália Gaudio é tricampeã da Olimpíada Caipira na ginástica rítmica. Disponível em: http://globoesporte.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2016/09/natalia-gaudio-e-tricampea-da-olimpiada-caipira-na-ginastica-ritmica.html. Acesso em 08 de out. 2016.

GLOBO ESPORTE. Natália Gaudio afirma que deixou legado e agradece “reconhecimento”. Disponível em: http://globoesporte.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/olimpiadas/noticia/2016/09/natalia-gaudio-afirma-que-deixou-legado-e-agradece-reconhecimento.html . Acesso em 08 de out. 2016.

Deixe um comentário