ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Robson Conceição, o maior atleta olímpico do boxe brasileiro

por Leonardo Ferreira | leonardoferreira305@hotmail.com | edição de Robson Hermes | robsonhermescolombo@gmail.com

Robson posa com medalha olímpica e bandeira do Brasil (Foto: Fernando Frazao/Agência Brasil)

Para vencer no ringue, Robson Conceição teve que vencer na vida. Ao bater o francês Sofiane Oumiha na final dos Jogos Olímpicos Rio-2016, o atleta garantiu medalha de ouro na categoria peso ligeiro (60kg). Para chegar à final, Conceição passou por três oponentes, entre eles o tricampeão mundial, o cubano Jorge Lazaro Alves e número um do ranking. O brasileiro está no segundo lugar atualmente. Até os Jogos de 2012, a única medalha do país havia sido conquistada em 1968, por Servílio de Oliveira. Em Londres, foram três pódios: prata com Esquiva Falcão e bronze com Adriana Araújo e Yamaguchi Falcão.

Momento em que juiz anuncia o vencedor da luta final (Foto: Fernando Frazao /Agência Brasil)

Momento em que juiz anuncia o vencedor da luta final (Foto: Fernando Frazao/Agência Brasil)

Antes de ser boxeador olímpico, o baiano era conhecido como o “Terror de Boa Vista”. O menino que andava pelas ruas de Boa Vista de São Caetano, bairro de Salvador (BA), não podia voltar para casa sem antes arrumar uma confusão. O seu sonho, quando pequeno, era ser tão famoso quanto seu tio Roberto, irmão de sua mãe, conhecido na região pelas corriqueiras brigas no Carnaval. Conceição, antes de entrar no ringue, já foi feirante, vendedor de picolé e ajudante de pedreiro. Começou a viver seu sonho depois de dois insucessos em Jogos antes de brilhar no Rio. Ele amargou com eliminação nos Jogos de Pequim 2008 e Londres 2012 ao perder logo na primeira luta.

O boxeador, para mudar sua fama, entrou para uma academia de boxe e começou a se dedicar, para mostrar para sua vó, Neusa Conceição, que não teria problemas com as pancadas. Hoje em dia, encontra-se com o perfil mais boa gente e humilde. “Através desse esporte (boxe), que dizem que é violento, foi que eu me eduquei e aprendi a não usar a violência”, explicou Robson em uma entrevista ao SporTV. Desde 2010, o Brasil também tem conquistado resultados significativos em Mundiais.

O boxeador presta continência ao subir no pódio. (Foto: Fernando Frazao /Agência Brasil)

O boxeador presta continência ao subir no pódio (Foto: Fernando Frazao/Agência Brasil)

Aos 19 anos, ele já estava fazendo parte da equipe brasileira de boxe olímpico. Em 2015, em Baku (Azerbaijão), Robson foi ao pódio, com o bronze. O resultado o classificou para estar no Rio-2016. Foi um dos representantes do país nos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, no México, onde conquistou uma medalha de prata no peso leve. O boxeador compõe o time do programa de incentivo dos atletas, como Terceiro-Sargento da Marinha do Brasil.

Família e casamento

A vida entrou nos trilhos quando a namorada, Erika, passou a fazer parte da seleção brasileira. Assim, ela também foi levada para Santo André, onde se localiza o CT da Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe). Após isso, ele começou a ter companhia e apoio para não desistir diante dos obstáculos que apareciam. Os dois se casaram em 2011. O pedido foi feito ao vivo, durante uma transmissão de TV, no Pan de Guadalajara. Sua mulher foi a primeira brasileira a subir em um ringue olímpico, na Olimpíada de Londres, em 2012. Erika não está na seleção atualmente.

Robson é casado com outra boxeadora, Erika, juntos os dois tem uma filha. (Foto: Arquivo Pessoal)

Robson é casado com uma boxeadora, Erika, juntos tem uma filha (Foto: Arquivo Pessoal)

A maior das vitórias do casal boxeador parece ser fora dos ringues: a filha Sophia. A menina completou dois anos na semana da final da Olimpíada de 2016. A CBBoxe liberou Robson durante a maratona de treinamentos para fazer a sua preparação neste ciclo olímpico em Salvador. Assim, ele ficou perto da esposa e da filha e conseguiu treinar com técnicos que o conheciam desde novo.

Profissionalização ou encarar mais um ciclo olímpico

A escolha para encarar mais um ciclo olímpico, Tóquio 2020, ainda não foi feita. Atraído pelo boxe profissional, o pugilista baiano pode seguir o caminho de Esquiva e Yamaguchi Falcão, que após o pódio em Londres 2012 receberam propostas e aceitaram participar da liga profissional. Como boxeador profissional, Robson poderia competir por cinturões das principais associações mundiais e com isso ganhar quantias milionárias.

A vibração do brasileiro na vitória de uma luta no Rio 2016 (Foto: Yuri Cortez /AFP/JC)

A vibração do brasileiro na vitória de uma luta no Rio 2016 (Foto: Yuri Cortez/AFP/JC)

Entre os maiores inspiradores do boxe, Robson também é fã de Floyd Mayweather, mas apenas no ringue. Quando o assunto é o jogo de Mayweather durante os combates, aponta que Floyd se defende muito bem e sabe a hora certa de contra-atacar. O baiano não gosta do estilo ostentação do boxeador, que faz questão de deixar à mostra suas riquezas, principalmente carrões, e suas excentricidades nas redes sociais. O brasileiro se considera o inverso, deixando a vida de brigão e levando a vida simples, não se apegando aos bens materiais. Em entrevista ao Globo Esporte, Conceição comenta sobre o que se inspira no boxeador profissional. “Sou fã do boxe dele, dele lutando. Ele me inspira pela forma como tornava as lutas fáceis. Fora do ringue não sou fã das ações dele. Não ter humildade não leva ninguém a nada, e faz você não ser muito admirado por isso.”

Campeonatos Disputados:

  • Campeonato Mundial 2015 – Doha,
  • Catar Campeonato Mundial 2013 – Almaty, KAZ
  • Jogos Olímpicos de Londres, 2012
  • Jogos Olímpicos de Pequim, 2008
  • Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, 2011, MEX
  • Liga AIBA Pro Boxing, 2014 e 2015

Títulos

  • OURO – Olimpíadas Rio 2016
  • OURO – Campeão Sul-Americano 2014 – Santiago, CHI
  • OURO – Torneio Feliks Stamm 2013 – Varsóvia, POL
  • OURO – Campeonato Continental Pan-Americano 2013 – Santiago, CHI
  • OURO – Torneio Pré-Olímpico da Guatemala, 2008
  • PRATA – Campeonato Mundial 2013 – Almaty, KAZ
  • PRATA – Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, 2011, MEX
  • BRONZE – Campeonato Mundial 2015 – Doha, Catar

FONTES CONSULTADAS:

SIQUEIRA, Felipe; BARONE, Marcelo; CARNEIRO, Raphael; MARINHO, Raphael e GOZZER, Thierry. Quem é Robson Conceição? O maior atleta do boxe brasileiro em Olimpíada. Disponível em:  http://globoesporte.globo.com/olimpiadas/boxe/noticia/2016/08/quem-e-robson-conceicao-o-maior-atleta-do-boxe-brasileiro-em-olimpiada.html. Acesso em: 19 out. 2016.

UCHÔA, Marcos . A história do pugilista Robson Conceição, esperança de medalha para o Brasil na Olimpíada. Disponível em: https://globoplay.globo.com/v/4657561/. Acesso em: 19 out. 2016.

NAGAMINE, Guilherme e ZANEI, Ricardo. O campeão chegou: Robson Conceição conquista o primeiro ouro do boxe brasileiro. Disponível em: http://espn.uol.com.br/noticia/622996_o-campeao-chegou-robson-conceicao-conquista-o-primeiro-ouro-do-boxe-brasileiro. Acesso em: 19 out. 2016.

ZERO HORA. Ex-vendedor de picolé e brigão de rua: quem é Robson Conceição, ouro no boxe dos Jogos do Rio. Disponível em: http://zh.clicrbs.com.br/rs/esportes/olimpiada/noticia/2016/08/ex-vendedor-de-picole-e-brigao-de-rua-quem-e-robson-conceicao-ouro-no-boxe-dos-jogos-do-rio-7283117.html. Acesso em: 19 out. 2016.

Deixe um comentário