ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Victória Amorim: trilhando um caminho de títulos e vitórias no goalball

por Victória Marisquerena | victoriamarisquerena@hotmail.com | edição de Robson Hermes | robsonhermescolombo@gmail.com

Victória Amorim do Nascimento (camisa 9) durante uma partida de goalball, modalidade paralímpica (Foto: Divulgação/CBDV)

Com apenas 18 anos, Victória Amorim já coleciona títulos. A jogadora de goalball ganhou ouro nos Jogos Parapan-Americanos em Toronto, ouro no Campeonato Brasileiro, no Campeonato Regional, é vice-campeã do Mundial de Jovens da IBSA nos Estados Unidos e está na lista dos dez melhores atletas paralímpicos do Brasil.

A menina – que perdeu a visão aos onze anos por causa de uma atrofia no nervo óptico – conheceu o esporte aos doze anos no Instituto Benjamin Constant, no Rio de Janeiro, e se encantou. Aos treze anos foi chamada para a seleção brasileira de goalball e mostrou que tinha não só no nome, mas no talento as vitórias que a seleção precisava.

Em entrevista, Victória fala sobre a atrofia e salienta o quanto o esporte é importante para a sua vida: “Foi muito difícil lidar com a situação na época. Foi um impacto. Um dia você está enxergando, aí no outro dia você foi para uma cirurgia na esperança de ficar boa e você sai de lá cega. Fiquei bem triste, 2009 foi um ano bem ruim na minha vida. Tive depressão, uma criança que estava naquela fase gostosa de brincar, meus amigos não sabiam também lidar com a situação, eu ainda tentei estudar em escola regular, mas não deu. Hoje sou feliz. Claro que sinto falta de enxergar, mas não adianta ficar questionando. E o goalball mudou a minha vida. Tanto o título em Toronto quanto o Prêmio Paralímpicos do ano passado eu não esperava. Eu só treinei para dar o meu melhor em quadra e é o que vou continuar fazendo. ”

Artilheira em vários campeonatos importantes, Victória se destacou rápido, e conquistou o prêmio de melhor esportista do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) de goalball, no ano de 2015. “Me sinto muito honrada por receber esse prêmio como uma recompensa por esse ano inteiro de trabalho e lutas. Não foi fácil treinar, não foi fácil conquistar medalhas, não foi fácil jogar goalball esse ano. Então eu sinto como uma recompensa de Deus. É mais um motivo para que eu nunca desista de meus sonhos”. Declarou a atleta após receber o prêmio de melhor esportista de goalball do CPB.

Victória Amorim recebendo o prêmio de melhor esportista de goalball do CPB (Foto: Daniel Zappe / MPIX / CPB / Divulgação)

Victória Amorim recebendo o prêmio de melhor esportista de goalball do CPB (Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB/Divulgação)

Victória não chegou de mansinho, chegou para abalar. Construiu em pouco tempo um caminho trilhado por títulos, até então inéditos para a equipe, que garantiram não só a participação da seleção feminina de goalball nas Paralímpiadas Rio 2016, mas também a expectativa sobre a seleção em ganhar mais uma medalha em casa.

As expectativas eram tão altas quanto o esforço e o talento da seleção. Na Arena do Futuro, já era capaz de sentir o gostinho da vitória. E logo no primeiro jogo as meninas ganharam dos Estados Unidos com o placar de 7 x 3, sendo seis dos sete gols da seleção feitos pela artilheira da equipe, Victória.

O entrosamento e as brincadeiras em equipe são marcantes no time, e também podem ser consideradas um trunfo para as atletas. Em entrevista dada após o primeiro jogo das meninas, Victória conta sobre um desafio: “Eu não esperava. As meninas até me desafiaram: ‘Se você fizer seis gols, você ganha um sorvete’. Hoje eu vou tomar sorvete”.

Desafio nenhum parece impossível para a atleta que não dá espaço para decepções

Apesar do início incrível, a seleção feminina não alcançou medalhas nas Paralímpiadas de 2016. Muito perto da vitória, a equipe perdeu para a seleção japonesa com o placar de 2 x 1, em uma partida conturbada, que já começou com atraso de 15 min por causa de uma briga na arquibancada.

Na Arena do Futuro, a medalha foi adiada, mas nada que fizesse a atleta perder o foco.Em entrevista dada após o jogo, ela comentou: “Ficamos em quarto lugar, isso não é motivo de vergonha. Por um lado, fico feliz por participar deste time que está em uma posição tão alta no ranking. Por outro, fico triste que era um grande sonho meu e um presente que eu queria dar para a minha mãe, Angelita, que faz aniversário na segunda-feira [19]”.

A medalha adiada está nas mãos de uma atleta comprometida e que ainda promete muitos títulos, quem sabe na próxima Paralímpiada. O importante é a dedicação, que para a tão nova atleta parece não ter fim.

FONTES CONSULTADAS:

SOUZA, Nataniel. Felipe Gomes e Victória Amorim no topo do Brasil. Disponível em: http://urece.org.br/site/felipe-gomes-e-victoria-amorim-no-topo-do-brasil/. Acesso em: 18 out 2016.

Brasil 2016. Doce sabor: Brasil estreia no goalball com vitória dupla na Arena do Futuro. Disponível em: http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/noticias/doce-sabor-brasil-estreia-no-goalball-com-vitoria-dupla-na-arena-do-futuro. Acesso em: 18 out 2016.

Esportudo. Rio 2016: Conheça os 10 melhores atletas paralímpicos brasileiros. Disponível em: http://blog.esportudo.com/rio-2016-os-melhores-atletas-paralimpicos-brasileiros. Acesso em: 18 out 2016.

MATSUKI, Edgar. Goalball feminino perde bronze, mas fecha Jogos com melhor resultado da história. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/rio-2016/noticia/2016-09/goalball-feminino-perde-bronze-mas-fecha-jogos-com-melhor-resultado-da . Acesso em: 18 out 2016.

ISTOÉ. Seleção feminina de goalball perde para China e vai disputar o bronze no Rio-2016. Disponível em: http://istoe.com.br/selecao-feminina-de-goalball-perde-para-china-e-vai-disputar-o-bronze-no-rio-2016/ Acesso em 18: out 2016.

ÍNDIO, Cristina. Seleção feminina do Brasil perde para o Japão no goalball paralímpico. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/rio-2016/noticia/2016-09/selecao-feminina-do-brasil-perde-para-o-japao-no-goalball-paralimpico. Acesso em: 18 out 2016.

WAmidia. A EMOÇÃO DA GINÁSTICA RÍTMICA PELAS ONDAS DO RÁDIO PARA ATLETA PARALÍMPICA. Disponível em: http://www.wamidia.com.br/WaMidia/CarregarNoticias?idNoticia=2817. Acesso em: 18 out 2016.

CBVD. Victória Amorim do Nascimento. Disponível em: http://cbdv.org.br/victoria-amorim-do-nascimento Acesso em: 18 out 2016.

IG Olimpiadas. No feminino, Brasil perde para o Japão no goalball paralímpico. Disponível em: http://esporte.ig.com.br/olimpiadas/2016-09-10/no-feminino-brasil-perde-para-o-japao-no-goalball-paralimpico.html. Acesso em: 18 out 2016.

Deixe um comentário